Livros

Como fazer amigos e influenciar pessoas (parte 3)

Olá, mais uma vez estou de volta, e agora com a terceira parte do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas” essa parte é bastante grande e possui 12 princípios que te auxiliarão a conquistar pessoas a pensar ao seu modo, obviamente, se eu fosse falar de todos o post seria enorme e eu acabaria tendo que dividi-los para aproveitá-lo melhor, ou passar muito superficialmente por cada um deles. Optei por escolher os três princípios mais interessantes para mim, espero que gostem e aproveitem.

Como conquistar as pessoas a pensarem como você.

“A única maneira de se dar bem em uma discussão é correndo dela”

Certa noite, Carnegie e seu velho amigo Frank Gammond estavam em um banquete de comemoração, até que um homem em sua frente começou lhe contar um caso e fez uma citação afirmando ser bíblica. Carnegie, certo de que aquela afirmação estava equivocada logo tratou de corrigi-lo, a frase não era bíblica e sim de Shakespeare.

“Shakespeare? Que absurdo” O homem tinha a certeza de que a frase era bíblica.

Gammond, havia estudado por anos Shakespeare e logo foi cogitado na discussão para que pudessem de vez confirmar quem era o errado da discussão. Gammond cutucou seu amigo por baixo da mesa e logo disse que Dale Carnegie estava errado, o cavalheiro estava certo, a citação era bíblica.

Na volta para casa Carnegie disse a seu amigo “Frank, eu sei que a frase é de Shakespeare” e eis a resposta de seu amigo Frank Gammond:

“Por que provar a um homem que ele estava errado? Por que não evitar que ele fosse envergonhado? Não pediu sua opinião, não a queria”

Você não pode vencer uma discussão pelo simples fato de que se você perder, você perdeu mesmo, e, se você ganhar você perde também. Por que?

A maioria das discussões termina com a pessoa mais convicta ainda de que está certa, e mesmo que você arrase na discussão dando argumentos lindíssimos e incontestáveis a única coisa que vai conseguir é uma pessoa profundamente ressentida com você.

Se você ganhar uma discussão vai fazê-la se sentir inferior, vai lhe ferir o amor próprio. E lembre-se, falamos disso no post passado, gostamos de ser ouvidos, queremos nos sentir importante.

PRINCÍPIO N°1: A ÚNICA MANEIRA DE GANHAR UMA  DISCUSSÃO É EVITANDO-A.

A MANEIRA CERTA DE FAZER INIMIGOS E COMO EVITÁ-LA.

Sócrates dizia: “Só sei que nada sei.”

E faço das palavras de Dale Carnegie a minha também. Não seja caprichoso a ponto de se achar mais sábio que Sócrates, portanto, deixe de dizer as pessoas que elas estão erradas.

E bastante valioso tentar compreender o ponto de vista contrário. E mesmo que tenha certeza de que o outro está errado e precise corrigi-lo tente trocar “Você está errado…” por “Eu posso estar errado mas…”

PRINCÍPIO N°2:RESPEITE A OPINIÃO DOS OUTROS, NUNCA DIGA “VOCÊ ESTÁ ERRADO”.

SE ERRAR, RECONHEÇA SEU ERRO.

O autor do livro costumava passear em um parque que ficava muito próximo de sua casa e frequentemente levava seu cãozinho Rex consigo. O animal era pequeno e manso, incapaz de fazer qualquer mal, por isso Dale não usava mordaça, ou coleira.  

Certa vez, encontraram pelo caminho um policial que não tardou em censurá-lo por andar com um cão sem focinheira ou coleira mesmo sabendo que era contra a lei.

Carnegie respondeu brandamente que o cachorro não faria mal algum e o que pensava a respeito, o policial não baixou o tom ou mudou sua posição, mas mesmo assim resolveu lhe dar outra chance e o deixou ir embora.

O homem com humildade prometeu obedecer, e o fez por um tempo. Mas seu cachorro não gostava de focinheira e ele tão pouco. Em uma tarde resolveram se arriscar, e tudo corria bem até lhes suceder um imprevisto, o policial os pegou em flagrante.

O homem estava errado sabia disso, e antes que o policial lhe dissesse algo já foi logo reconhecendo sua culpa sem arrumar qualquer desculpa ou justificativa pelo seu erro.

O caso terminou de maneira até engraçada já que os papeis acabaram sendo trocados e o policial chegou até mesmo a dizer “um animalzinho como esse não vai fazer mal a ninguém”.

Mas porque esse final tão supreendentemente diferente da outra vez já que a situação é a mesma e com as mesmas pessoas.

Bom, ao reconhecer seu erro o homem mostrou ao policial que ele era mais importante que seu próprio ego e ainda o deu a chance de ser mostrar clemente.

“Qualquer louco é capaz de se defender diante dos seus erros, mas é preciso muita coragem para reconhecer suas fraquezas”

Além de tudo é muito melhor dizer a si mesmo quais são os seus erros do que escutar isso de outros, não?

PRINCÍPIO N°3: RECONHEÇA SEUS ERROS, RAPIDA E ENFATICAMENTE.

Resumo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s