Livros

Como fazer amigos e influenciar pessoas. (Parte 2)

Olá, assim como combinado, eu voltei hoje com a segunda parte do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas” do Dale Carnegie, o livro reúne 30 conceitos importantes para pessoas que querem melhorar seus relacionamentos e crescer como pessoa. Caso não tenha visto o primeiro post confira pelo link: https://eunotopo1.blog/?p=50

caso já tenha visto vamos seguir

PARTE ll

6 maneiras de se tornar uma pessoa mais amigável.

Você já parou para se perguntar o porquê de aplicativos como o Instagram, Facebook e Snapchat fazerem tanto sucesso? O que tem de tão importante além de publicarmos fotos nossas, interesses nossos e aquilo que nos agrada e/ou nos incomoda?

Isso mesmo, faz sucesso porque podemos publicar fotos nossas, coisas de nosso interesse e/ou coisas que não nos agradam, tudo gira em torno daquilo que “EU” gosto, mas esse assunto do ser importante já foi comentado no post passado. Acontece que algumas pessoas estão tão concentradas naquilo que elas gostam que elas não conseguem nem mesmo deixar uma pessoa terminar um assunto, se alguém começa a comentar que está pensando em entrar na academia ela já vai logo dizendo “Nossa, eu também tenho pensado nisso, ando tão sedentário” e vai longe a conversa sobre coisas que ela gosta, faz ou deixa de fazer, ela nunca presta atenção no que o outro diz e portanto nunca tem um diálogo. Ela não se interessa pelo outro.

“se apenas procurarmos impressionar as pessoas e fazer com que elas se interessem por nós nunca teremos amigos sinceros e verdadeiros.”

Joe Girard, o maior vendedor de carros, considerava que sua venda começava a partir do momento em que o comprador saía com o carro da concessionária, por isso quando ele fechava uma venda ele anotava os dados do cliente e mandava cartas de agradecimentos e em datas especiais como aniversário, natal, dia das mães e etc. Esse trabalho servia para estreitar as relações entre o vendedor e seus clientes e esse diferencial garantiu a Girard um espaço no livro do Guines Book como o “Maior vendedor do Mundo”, essa bela trajetória foi garantida, também, graças ao interesse que Joe Girard demonstrava para seus clientes.

Você pode até pensar “mas do que isso vale para mim?”, eu digo que muito!

Você pode até não trabalhar em uma loja de carros, mas em algum momento vai precisar vender algo, seja suas habilidades em uma entrevista de emprego ou suas ideias em um ambiente social. Demonstrar interesse pelo outro é essencial!

PRINCÍPIO N°1: TORNE-SE VERDADEIRAMENTE INTERESSADO NA OUTRA PESSOA.

O dr. Stephen K. Sproul, veterinário em Raytown, disse que certa vez sua sala de espera estava cheia de clientes com caras fechadas a espera de que seus animais fossem vacinados, até que uma jovem senhora entrou na sala com um bebê de 9 meses e um gatinho. Coincidentemente ela foi se sentar ao lado do senhor que mais parecia estar impaciente. Passado algum tempo o bebê o encarou e abriu o enorme sorriso. O homem fez o que qualquer um de nós faríamos, sorriu para o bebê também, logo começou a falar com a mãe a respeito da criança e não muito tempo depois todos na sala estavam envolvidos em uma conversa agradável.

Os efeitos de um sorriso.

Carnegie explica que James V. McConnell, psicólogo na Universidade de Michigan (na época), dizia que pessoas que sorriem dirigem, ensinam e vendem com mais eficiência.

PRINCIPÍO N°2: SORRIA.

O autor do livro também fala sobre Andrew Carnegie, homem que foi chamado de O rei do aço; entretanto, pessoalmente, sabia muito pouco sobre a manufatura do aço. Mas sabia como tratar homens, e foi isso que o tornou rico.

Ainda na sua infância descobriu o enorme valor que as pessoas davam a seus nomes quando ao encontrar um casal de coelhos e tendo conseguido um ninho para os pequenos constatou que teria que alimentá-los, mas teve uma grande ideia.

Disse aos meninos de sua vizinhança que lhe arrumassem alimentos para os coelhinhos e em troca batizaria os animais com os seus nomes. O plano teve o efeito que desejou e isso jamais foi esquecido por Carnegie.

Anos mais tarde ganhou milhões aplicando o mesmo conhecimento aos negócios.

Já houve alguma vez em que você reencontrou uma pessoa depois de algum tempo e ela não se lembrou do seu nome? Só não me diga que você é essa pessoa. Saiba que quando você se esquece do nome de alguém a mensagem que você transmite é de que ela não tem importância alguma para você, já quando você se lembra o efeito causado é bastante positivo.

Faça um teste, a próxima vez que for ao mercado experimente agradecer a caixa a chamando pelo nome.

PRINCÍPIO N° 3: O NOME DE UMA PESSOA É PARA ELA O SOM MAIS DOCE E IMPORTANTE QUE EXISTE EM QUALQUER IDIOMA.

Um belo dia no trabalho, depois de atender vários clientes mal-humorados, acabava de chegar um jovem no balcão e, não muito diferente dos outros clientes, de cara fechada. Decidida a fazer uma abordagem diferente das outras, resolvi fazer uma pergunta a ele mas eu não tinha nada em mente, até ver em seu braço a tatuagem de um leão. Eu achei linda e logo tratei de lhe elogiar, o garoto sem jeito me agradeceu e disse que ainda faltava alguns detalhes, eu fiquei espantada pois par mim a tatuagem estava perfeita e essa foi a deixa, o jovem logo se soltou e começou a falar sobre tatuagens e seus desenhos, me mostrou mais uma em sua perna e falou de outras ideias que tinha para as próximas tatuagens, logo o seu pedido estava pronto, ele foi ao caixa, pagou, me perguntou se eu tinha alguma tatuagem e me deu algumas dicas, pegou o sanduíche e comeu satisfeito na mesa. Antes de ir embora ainda passou pelo balcão para agradecer e dar “xau”.

O jovem era uma exceção? Não.

O meu papo com ele foi mais legal que o papo que eu tive com os outros clientes? Como se eu fiz apenas uma pergunta?

A verdade é que existem muitas pessoas como o jovem e querem apenas serem ouvidas. Falar sobre algo que gostam muito. Todos nós gostamos de ser ouvidos.  E aqui nessa parte podemos tirar dois princípios:

PRINCÍNPIO N° 4: SEJA UM BOM OUVINTE, INCENTIVE AS PESSOAS A FALAREM SOBRE ELAS MESMAS.

PRINCÍPIO N° 5: FALE DE COISAS QUE INTERESSEM A OUTRA PESSOA

Você já parou algum vez para olhar para uma pessoa aleatoriamente e descobrir algo que ela tenha que lhe desperte a admiração?

Foi isso que o autor fez antes de soltar um elogio a cabeleira de um rapaz na fila de um correio. Isso obviamente deixou o rapaz muito bem consigo e rendeu alguns minutos de diálogo.

Ao compartilhar a experiencia em público Carnegie foi surpreendido com uma pergunta: “Que queria o senhor conseguir dele?”

E a única coisa que ele queria ele conseguiu que era a satisfação de fazer alguma coisa por ele, sem esperar nada em troca. Se existe uma máxima que nos trará inúmeros amigos e constantes felicidades é esta: Fazer sempre a outra pessoa sentir-se importante.

“faça aos outros o que quer que os outros lhe façam”.

Como? Quando? Onde? Todas as vezes, em toda a parte.

Alguns de nós queremos apenas uma apreciação verdadeira.

PRINCÍPIO N°6: FAÇA A OUTRA PESSOA SENTIR-SE IMPORTANTE E FAÇA COM SINCERIDADE.

E agora um resumo:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s