Reflexões

“FICAR A VER NAVIOS OU CHEGAR LONGE DE JANGADA?”

O título desse post é baseado em um trecho de uma música do rapper Djonga que muito me fez refletir a respeito pois se encaixava diretamente a tudo que acontecia em minha vida e com quase todas as pessoas que estavam a minha volta. Estávamos infelizes com a nossa situação, porém nada fazíamos a respeito disso a não ser lamentar.

No trecho de sua música o rapper diz “tem quem fica a ver navios e quem chega longe de jangada” e eu era justamente essa pessoa que ficava a ver navios. Eu odiava meu emprego, não tinha dinheiro, não tinha bons relacionamentos e sentia muita falta disso o que me deixava extremamente frustrada.

 Eu culpava todos a minha volta, a minha gerente por tornar o ambiente de trabalho péssimo, os patrões por pagarem mal por um trabalho exaustivo, as pessoas por não serem confiáveis, os parceiros por serem egoístas e me considerava vítima da vida e das circunstâncias.

 Essa música me fez parar no tempo e fazer uma pesquisa até mesmo sobre a vida do cantor e descobri que ele nasceu em uma favela de Belo Horizonte para se tornar nada menos que um dos rappers mais influentes da atualidade no Brasil e com apenas 24 anos, eu mesma cheguei a ir a um show dele e o vi lotar uma casa com mais de duas mil pessoas.  Fiquei entusiasmada e comecei a pesquisar sobre histórias de pessoas e superações e entre várias também achei uma clássica que quase todos nós já devemos ter ouvido ou lido “José do Egito” isso mesmo, aquele da bíblia.

 José era invejado por seus irmãos e com apenas 17 anos foi vendido como escravo por eles, no Egito como servo de Potifar José seguiu seu trabalho dando o melhor de si o que chamou a atenção do senhor que acabou tornando José o seu braço direito. Alguns de nós já cairíamos aqui, se há algo que nos incomoda, algum costume ou obrigação de fazer algo que não gostamos e até mesmo algo que não devíamos fazer já nos chateamos e procuramos um culpado para isso seja nossa família, patrão ou circunstâncias. José fez diferente ele não podia, no momento, fazer nada a respeito então ele tentou transformar aquele experiência ruim e indesejada em algo positivo.

Lição n° 1:  Abandone o vitimismo.

Seguindo a história vemos que todo o sucesso de José acabou chamando a atenção da mulher de Potifar que literalmente o chamou para a cama o seduzindo e oferecendo regalias em troca da traição.

A tentação, ah… quantas vezes somos tentados a trair nossos ideais, perdemos o nosso foco, nos auto sabotamos, traímos o nosso interesse em troca do conforto e muitas vezes sem nem perceber. Isso acontece quando a gente está procurando aquela vaguinha de emprego no computador e chega uma notificação do facebook, a gente vai dar aquela conferida e quando vê já passou 3 horas e você lá perdido em vídeos e curtidas da rede. Acontece quando a gente quer perder uns quilinhos, mas a cama está tão gostosa às 8 da manhã que a gente não resiste a tentação e deixa para começar a caminhar na próxima segunda-feira, acontece quando a gente quer se especializar em algo fazendo algum curso mas aquela marca de sapatos acabou de lançar um linha de tênis nova e mesmo que você tenha um armário cheio de calçados prefere deixar de fazer o curso para alimentar seu vício consumista. José foi diferente, José disse: NÃO.

Lição n° 2:  Resista as tentações e tenha foco.

Ao ser rejeitada a mulher de Potifar começa a gritar pela casa dizendo aos outros funcionários que José queria abusar dela, Potifar irado com a “traição” de José dentro de sua própria casa manda os guardas prenderem o jovem.

Nesta hora podemos imaginar o que devia estar passando na cabeça daquele jovem né?! O que nós faríamos? O que você faria?

 José mais uma vez surpreende e depois de ser vendido, perder sua família, um cargo de confiança e de certa forma até a amizade de Potifar, dentro da prisão ele recomeça e de alguma forma acaba conquistando a simpatia do carcereiro e dentro da prisão ele vira novamente o braço direito do chefe. Essa parte, para mim, tem a ver com recomeço, infelizmente a vida tem dessas coisas a vezes estamos em baixo as vezes em cima, as vezes por culpa nossa, as vezes não. Independente disso, se algo deu totalmente errado na sua vida, recomece. Ou pelo menos tente. Tente novamente tirar algo bom de tudo isso, existe um poema muito lindo e inspirador do escritor Bráulio Bessa eu recomendo que você leia sempre que se abater o nome é RECOMECE (Vale muito a pena ler).

Lição n° 3: Se tudo der errado recomece.

Após um tempo na prisão o rei acabou se irando com dois de seus servos e os mandou para prisão, em uma noite os dois tiveram um sonho e como já sabemos José foi capaz de interpretá-los, após alguns dias os dois servos tiveram um fim diferente onde um é condenado a morte e outro volta servir ao rei concretizando assim as premonições de José. Após dois anos de prisão o rei do Egito tem um sonho que o deixa intrigado e um de seus servos que já tinha estado na prisão e conheceu José fala do jovem ao seu rei que manda seus servos trazê-lo ao palácio para interpretar seu sonho, o final todos sabemos, José interpreta o sonho e se torna governador do Egito, dessa vez sendo o braço direito do próprio rei.

 Veja que José enfrentou muitos fracassos na vida mas jamais foi um homem fracassado, ele sempre esteve modificando sua rota, sempre fazendo das experiências ruins algo bom para sua vida, mesmo tendo todos os motivos para ficar pelos cantos se lamentando ele estufava o peito e saía para vida o seu final foi glorioso não porque a vida sentiu pena do pobre homem um dia e resolveu dar uma mão, mas porque ele agiu como criador da sua própria história. Temos o costume de nos lamentar e dizer que nossa vida é difícil porque não temos dinheiro, e que não temos dinheiro porque não temos condições, e que não temos condições porque não tivemos estudos, e não tivemos estudos por culpa de nossos pais e segue uma lista longa de culpados pelo nosso fracasso.

 Enquanto ficamos a ver navios dizendo que não podemos isso e aquilo porque não temos condições tem gente criando jangada enfrentando o mar e seus ventos escrevendo suas próprias histórias e seus finais felizes e “quem não escreve sua própria historia está fadado a viver aquilo que os outros escrevem para você”.

Ufa! É difícil aceitar que erramos não é? mas tudo bem, isso sempre acontece, faz parte da vida e é importante mas precisamos aprender com erros e mudar na prática ou viveremos sempre em torno do mesmo ciclo, chegou a hora de mudar, que tal seguirmos algumas atitudes como as de José em?!

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s